Categoria: Biblioteca

5 livros grátis para aprender sobre Heráldica

Um bom livro é o melhor amigo que se pode ter, diz-se por aí. E se você quer aprender heráldica, não há outra forma tão boa quanto cercar-se de livros sobre o tema. Dizem alguns que a Heráldica é uma ciência morta, que seus desenhos estão ultrapassados e que seus princípios são coisa de gente velha. O que é, seguramente, uma bobagem.

Se fosse assim, não teríamos o College of Arms Britânico contratando novos passavantes anualmente. Não teríamos personalidades, cidades e outras pessoas físicas e coletivas assumindo armas. Não teríamos livros sendo lançados, e com certeza não teríamos páginas de Instagram e grupos de Discord, verdadeiras mecas digitais do público jovem, destinados à Heráldica.

Por isso existimos nós, os aficionados, catalogando e trazendo a público livros de heráldica. Por vezes, pinçando em sebos ou em arquivos digitais. Estes últimos, fazem menos danos ao nosso sistema respiratório. E é graças a estes, em sua maioria, que podemos compartilhar cinco dos melhores livros para aprender sobre a matéria.

Em tempo: Os livros que compartilhamos estão disponíveis legalmente na internet. Há inúmeros métodos de conseguir livros protegidos por direitos de autor, aí pelos torrents, trackers e fóruns da vida. Porém, por mais que este blog seja ávido defensor da cultura livre, respeitamos os direitos de autor e não compartilhamos pirataria de nenhum tipo. Assim, evitamos de sofrer represálias ou outros problemas jurídicos. Vida de pesquisador no Brasil não é nada fácil, não vamos piorar as coisas…

Sem mais delongas, vamos à seleção:

Introdução ao Estudo da Heráldica, do Marquês de Abrantes

A melhor obra introdutória sobre Heráldica disponível em Língua Portuguesa, escrita por D. Luiz Gonzaga de Lancastre e Távora, Marquês de Abrantes na Nobreza de Portugal.

Pessoalmente, gosto tanto deste livro que imprimi uma cópia física para mim. A edição é de 1992, e foi disponibilizada pelo Instituto Camões. A perfeita contextualização histórica do autor Marquês garante, de fato, uma leitura de altíssimo nível. Clique na capa do livro para baixar.

Princípios de Heráldica, de Vera Lúcia Bottrel Tostes

Tenho meus dois pezinhos atrás com Tostes, que se posicionou como herdeira do trabalho de Gustavo Barroso pela Heráldica Nacional, mas preciso dar o braço a torcer por seu trabalho. Apesar de alguns erros, que eu desconfio que procedem de transcrições malfeitas, e algumas informações desencontradas, o trabalho da autora carioca é bem ilustrado e segue sendo uma introdução valiosa para quem está começando!

Assim como o trabalho de Abrantes, este livro ainda não está em Domínio Público, e edições do original de 1983 estão a venda em sebos online, como a Estante Virtual. Felizmente para nós, o próprio Museu Histórico Nacional, onde Tostes foi diretora, disponibiliza acesso ao livro gratuitamente. Clique na capa do livro para acessar.

 

Archivo Nobiliarchico Brasileiro, dos barões de Vasconcelos

Nesta obra rara, datada de 100 anos atrás, portanto já em Domínio Público, duas gerações dos barões de Vasconcelos coletam a Nobreza Imperial. A obra foi editada em Lausanne e tem brasões desenhados po Fernand Junot.

Um dia, no futuro, quando eu não tiver mais nenhum trabalho ou universidade tomando o meu tempo, penso em preparar uma edição renovada e ampliada com outros brasões posteriormente descobertos em outros arquivos.

Enquanto isto não acontece, ficamos com a edição original, disponibilizada pela Biblioteca Digital Luso-Brasileira, uma iniciativa da Biblioteca Nacional. Clique na capa do livro para acessar.

English Heraldry with nearly five hundred illustrations, de Charles Boutell

Boutell é o livro básico da Heráldica Inglesa. Sua leitura é, até os dias de hoje, essencial. Ele é útil para aprender formas e conceitos inerentes à Heráldica das terras da Rainha. Foi com este livro que eu estudei para o meu exame de acesso ao nível de Associate Fellow da International Association of Amateur Heralds.

Para evitarmos problemas com o pessoal das editoras, a edição que estamos compartilhando aqui é a de 1908, revisada por Arthur Charles Fox-Davies. Esat é uma edição da Universidade da Califórnia, para livre acesso e download, disponibilizada pelo The Internet Archive. Mas visitando o site do próprio Internet Archive, é possível “emprestar” edições mais recentes, revisadas por John Philip Brooke-Little, um admirador do trabalho de Fox-Davies.

Clique na capa do livro para acessar a edição de 1908. Clique aqui para a edição de 1978, que requer, porém, uma conta no Internet Archive para um empréstimo temporário.

Tratado de Heráldica y Blasón, de Francisco Piferrer

Um dos grandes volumes da Heráldica Espanhola, até hoje citado por especialistas no assunto. É o mais antigo de todos nesta lista, tendo sido lançado em 1853, portanto há quase 170 anos. Ainda assim, é uma excelente cartilha para quem curte o idioma de Cervantes.

Ainda que a digitalização, disponibilizada pela Universidade da Califórnia através do Google Books, não ser a mais gentil com as ilustrações de José Asensio y Torres, este segue como o meu livro favorito de Heráldica Espanhola, por sua leitura bem fácil. Pode ser lido online, baixado ou até mesmo pelo celular, através do aplicativo Google Books. Clique na capa do livro para acessar.

Uma última dica

Um bom livro é o melhor amigo que se pode ter, diz-se por aí. Se você der uma pesquisada nesses links aí, vai conseguir encontrar livros tão bons quanto esses. Desejo bons estudos de Heráldica, e até o próximo post!

Na biblioteca: Elucidario Nobiliarchico

Adicionando mais volumes à Biblioteca do Site nesta segunda! O Elucidario Nobiliarchico foi uma publicação capitaneada por Afonso de Dornelas, fundador do nonagenário Instituto Português de Heráldica. O IPH, ainda que não responda às minhas mensagens, é uma instituição de grandessíssima valia para os interessados em Heráldica Luso-Brasileira. Falta-lhes, contudo, uma presença virtual mais forte, como a maioria das instituições heráldicas do século passado.

Selo IPH tratado - Elucidário

Selo do Instituto Português de Heráldica.

O Instituto foi fundado em Julho de 1929, enquanto Dornelas publicava a segunda edição do Elucidario. Decerto, esta terá sido a razão de não termos tido mais edições. Esta publicação foi substituída pela revista Armas e Troféus, publicação do IPH que é editada até os dias atuais.

O Elucidario Nobiliarchico foi uma edição fasciculada, um método de publicação que parece ser recorrente entre as obras heráldicas dos primeiros trinta anos do século passado. As publicações eram mensais, e foram publicados vinte e quatro fascículos. O primeiro volume é de 1928, e o segundo de 1929. Ao fim das doze publicações de um ano, contudo, elas poderiam ser compradas todas juntas. Por uma módica quantia, ainda podiam ser encapadas a couro.

O Elucidario dividia-se primariamente em duas seções: A primeira, de heráldica de domínio das cidades portuguesas, imagens e descrições de cartas de armas

Tendo já se passado mais de setenta anos do falecimento de Dornelas, suas obras passam a ser de domínio público. Para honrá-lo e demonstrar gratidão pelo seu trabalho, dedicamos esta publicação à sua memória. Que possa esta publicação alcançar a todos os leitores e que saibam estes quem foi seu editor. Ainda mais, que conheçam seu contributo para a Heráldica.

A edição que adquirimos, evidentemente digital, é uma digitalização dos vinte e quatro fascículos originais, pertencentes à Hemeroteca Municipal de Lisboa. Felizmente, está em ótimas condições. De facílima leitura. Clique no link abaixo para ir até a seção da biblioteca onde se encontram os volumes.

Elucidario Heraldico (1928-1929)

Em tempo, mais edições serão adicionadas esta semana. Também aceitamos sugestões e volumes digitais para serem adicionados. Se você possuir um volume autoral ou em domínio público que queira compartilhar, basta enviar para nós que adicionaremos à Biblioteca do site. Não podemos adicionar livros protegidos por direitos de autor, afinal não queremos ser tirados do ar por pirataria.

Revista do IPGH 20

Mais um volume da Revista do Instituto Paraibano de Genealogia e Heráldica saiu recentemente. Desta vez, como membro correspondente, recebi uma cópia, que chegou às minhas mãos hoje cedo. Rapidamente, antes mesmo de publicar aqui, já fiz publicidade no grupo Heráldica Brasil, lá no Facebook. Ainda há exemplares à venda. Se estiverem interessados em adquirir uma cópia, podem entrar em contato com a Diretoria do IPGH através do grupo do Instituto no Facebook.

Revista IPGH 20

Este ano a faculdade não me deixou tempo para a publicação, porém na edição 21 quero ter artigos publicados novamente.

Além da versão impressa, o amigo e atual presidente do IPGH, Teldson Douetts Sarmento, publicou também a versão online, a qual disponibilizamos também aqui em primeiríssima mão, com sua anuência. Aproveitem a leitura:

Revista do Instituto Paraibano de Genealogia e Heráldica, 20

Igualmente, esta edição também já adicionamos à nossa Biblioteca, onde vai fazer companhia a vários outras edições da Revista do IPGH. Então, para ter acesso a todas elas e a mais algumas publicações heráldicas selecionadas, basta clicar neste link e conhecer a nossa biblioteca!

Cadernos “Barão de Arêde” na Biblioteca

Mais novidades sempre que possível, esta é a meta. Hoje, os Cadernos de Genealogia e Heráldica do Barão de Arêde foram adicionados a Biblioteca.

Monograma do Barão de Arêde Coelho. Imagem da Capa dos Cadernos.

Monograma do Barão de Arêde Coelho. Imagem da Capa do Caderno.

A Revista do Centro de Estudos de Genealogia e Heráldica Barão de Arêde Coelho é uma das melhores publicações heráldicas em língua portuguesa desta década. Dirigida pelo próprio Barão, Luís Soveral Varella, conta com escritos de grandes nomes da Heráldica Portuguesa dos nossos dias. Escreveram  para o Caderno nomes como Óscar Caeiro Pinto, Luís Camilo Alves, David Fernandes da Silva e Segismundo Pinto, além de tantos outros excelentes heraldistas do lado de lá do Atlântico, assim como o próprio barão.

Todos os volumes estão atualmente disponíveis no site do Centro, todavia solicitei a autorização do barão para copiar o conteúdo para a nossa Biblioteca, e com sua pronta aceitação, lá já estão, numa pasta própria, as sete edições já lançadas do Caderno.

Armas do Barão de Arêde Coelho. Imagem por Luís Camilo Alves.

Armas do Barão de Arêde Coelho. Imagem por Luís Camilo Alves.

Sem mais para hoje, fica reiterado o meu agradecimento ao Luís, cujas belíssimas armas ilustram esta publicação; e a todos uma boa leitura.

 

Volumes novos na Biblioteca do Site!

Caras leitoras e leitores, já faz algum tempo desde a última publicação deste blog.  Hoje, adicionei mais alguns volumes à nossa biblioteca.

O trabalho e a universidade tomam bastante do meu tempo atualmente, mas felizmente, graças a alguns dos meus professores, estou conseguindo levar adiante o meu plano de produzir mais sobre heráldica, dentro dos padrões acadêmicos, que por vezes são um tanto difíceis de alcançar.

Claro, com isso em mente, em breve espero ter mais alguns escritos próprios para compartilhar com vocês. Mas por ora, vamos com outras maneiras de compartilhar conteúdo. Adicionei mais alguns volumes em espanhol à nossa Biblioteca!

Nossa Biblioteca

Nossa Biblioteca está aumentando gradativamente. Atualmente, temos alguns volumes em Português, em Inglês e Espanhol, e o plano é continuar adicionando conteúdo em domínio público, para que todos os leitores tenham acesso a mais e mais conhecimento heráldico.

Basta clicar no link no início deste parágrafo ou na barra superior para acessar. O nosso arquivo está no Google Drive, portanto, se você seguir o link uma vez, ele já vai ficar nos “Compartilhados com você”.

Além disso, se você tiver interesse em contribuir com alguns volumes que possa compartilhar, basta entrar em contato, por aqui, pela página ou pelo Grupo no Facebook!

Novos volumes em Espanhol!

Hoje, mais três volumes em Espanhol foram adicionados:

  1. ENCICLOPEDIA HERÁLDICA Y GENEALÓGICA HISPANO AMERICANA, I – CIENCIA HERÁLDICA O DEL BLASÓN. Alberto y Arturo García Carrafa, 1920.
  2. EL BLASÓN ESPAÑOL. Ramon Medel, 1846.
  3. CIENCIA HEROYCA REDUCIDA A LAS LEYES HERALDICAS DEL BLASÓN. Marquês de Avilés, 1780.

E além deles, dois Decretos do Boletim Oficial do Estado (BOE) da Espanha, tratando das bandeiras pessoais do Rei Felipe VI, e de sua filha, a Princesa das Astúrias, incluindo seus brasões.

  1. REAL DECRETO 527-2014, DE 20 DE JUNIO, POR EL QUE SE CREA EL GUIÓN Y EL ESTANDARTE DE SU MAJESTAD EL REY FELIPE VI, 2014.Bandeira do Rei da Espanha
  2. REAL DECRETO 979-2015, DE 30 DE OCTUBRE, POR EL QUE SE CREAN EL GUIÓN Y EL ESTANDARTE DE SU ALTEZA, LA PRINCESA DE ASTURIAS, 2015.Bandeira da Princesa das Astúrias

Por ora, caros leitores, é só! E para os próximos dias, se assim o trabalho e a faculdade permitirem, teremos mais conteúdo!

Como eu faço pesquisa heráldica.

Recentemente eu expliquei, pela enésima vez, que brasões de família não existem, e que as armas são passadas a pessoas. Isso acontecia através das Cartas de Brasão, como por exemplo a da Baronesa de Sertório, que eu publiquei aqui anteriormente.

Munidos desta informação, algumas pessoas vieram me perguntar como eu fazia para encontrar as armas que se relatavam ao seu sobrenome, para conferir se de fato tinham direito ou não a usá-las. Após responder umas quatro vezes, decidi deixar aqui um tutorial. Há mais livros, mais fontes, muitas delas estão em mau estado ou indisponíveis. Este é apenas um guia básico que vai permitir que você inicie a sua procura.

Um aviso. O Armorial Lusitano é dispensável.

É estranho quando você descobre que algo que você considerava essencial não é tão necessário para a sua pesquisa. Mas é isso mesmo.

Uma coisa que vocês precisam saber é: Praticamente todos os empreendimentos que vendem brasões são baseados em violação de Direito Autoral. O Armorial Lusitano não está em Domínio Público, então qualquer reprodução para fins comerciais é veementemente proibida. O que esses vendedores de imagens de brasões fazem é simplesmente copiar o texto que vem no Armorial Lusitano e desenhar o brasão com clip-arts semiprontos. O Armorial Lusitano também não fornece nenhuma prova ou indicação genealógica (ao menos não a edição que eu tenho acesso).

Em vez de idolatrar uma história falsa, e de perder tempo com o Armorial Lusitano por ora, vamos a fontes mais credíveis e o melhor, disponíveis de forma gratuita. Vamos começar procurando no “Armaria Portuguesa” de Anselmo Brancaamp Freire. Clicando na imagem acima, vocês acessam a Biblioteca do Heráldica Brasil, onde poderão achar um PDF desse livro.

Preparar e já!

Para exemplificar, vamos com um sobrenome aleatório: Gusmão.

Como vocês podem notar, há o brasão de um ramo de Gusmão na imagem acima. Mas vamos nos atentar o detalhe que eu marquei: C.B. em 1780 (A.H., 1563). Bem no começo do livro,nas abreviaturas, podemos ver que C.B. significa Carta de Brasão e que A.H. Significa Archivo Heraldico, mais especificamente, o Archivo Heraldico-Genealogico do Visconde de Sanches de Baena. Igualmente, está disponível na Biblioteca do Heráldica Brasil.

Sabemos então que este brasão de Gusmão aparece numa Carta de Brasão passada em 1780, e está registrado no Arquivo de Sanches de Baena sob o número 1563. Indo diretamente para este arquivo (também está no link acima), encontramos o seguinte registro.

A partir da imagem acima, já sabemos quem recebeu este brasão, e como usou. No caso, José Joaquim de Queiroz Argolo tinha um brasão esquartelado, um dos quarteis sendo de uma linhagem de Gusmão. A partir daqui, pode-se começar a pesquisa genealógica, seja até o armigerado, seja a partir dele.
E aqui termina a pesquisa heráldica.
A partir de agora, a pesquisa precisa ser genealógica. Não vou mais em frente porque não temos nenhum Gusmão na Família.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén